COLUNA MINOTOURO: O que as artes marciais podem ensinar nos negócios? Descubra:

Logo que o Rodrigo conquistou o cinturão mundial do Pride ele estava no auge da carreira e viveu um momento difícil dela, ele estava com hérnia de disco na coluna e por conta das dores acabou sendo afastando dos treinos fortes por alguns meses até que um dia recebemos uma intimação do evento Pride, ao qual ele era campeão, falando que teria que colocar o cinturão em jogo mesmo machucado ou, do contrário, teria que abandonar o cinturão.

Meu irmão já estava fazendo alguns tratamentos e nada funcionava e, diante desta situação complicada, aceitou uma dica de um amigo nosso, o lutador Pedro Rizo, que era um tratamento médico na Holanda. Então, fomos para Holanda ver o que tinha de diferente neste tratamento que prometera acabar com as dores do Rodrigo.

Ao chegarmos, já no primeiro dia o médico pediu para o Rodrigo agachar com 20 quilos de cada lado. Meu irmão questionou “- Eu mal posso andar, como vou agachar?”. Então, o médico insistiu e pediu para confiar no tratamento que em duas semanas já estaria voltando a treinar.

Para a nossa surpresa, a séries de agachamento e abdominais fizeram efeito, fortaleceram as pernas, estabilizaram os músculos do abdômen e como o médico prometeu, em duas semanas o Rodrigo voltou a treinar. No mesmo dia meu irmão ligou para o Japão super contente dando a boa notícia que ele estava apto a treinar.

Naquela mesma época no Japão, havia um lutador muito famoso chamado Bob Sapp e ele era representante de um evento concorrente do Pride que se chamava K1. Ele era tão famoso e impressionava pelo seu tamanho que aparecia na TV, fazia filmes, aparecia nas propagandas do metrô e nos outdoors. Sapp lutava kickboxing, ele era um cara enorme, muito grande e explosivo, era um ex-jogador de futebol americano e pesava 172 quilos. Naquela época já havia estreado no MMA  e sempre ganhava dos adversários no primeiro minuto de luta .

Era impressionante o tamanho e a explosão que aquele lutador tinha…

Bob Sapp usava o seu tamanho ao seu favor. Imagina uma montanha de 172 quilos vindo com toda velocidade em sua direção? Era coisa de louco.

Quanto mais ele ganhava, mais popular ele ficava no Japão.

Nessa época os japoneses estavam organizando um grande evento de lutas: o Pride Dynamite onde os dois eventos rivais Pride e K1 iam colocar os seus principais lutadores para se enfrentar num estádio de futebol, a proposta do evento era ser o maior evento de artes marciais do mundo.

Um evento no dia do ano novo para 110.000 pessoas…

Resumindo, o Rodrigo estava na Holanda na segunda semana do tratamento e o pessoal do Pride pediu para ele ir para o Japão fazer uma reunião e fizeram um grande desafio: lutar com o até então invicto Bob Sapp na luta principal do evento Pride Dynamite onde os melhores  atletas da organização Pride iriam enfrentar os melhores atletas do evento K1.

O evento seria no estádio nacional de Tokyo para 110.000 pessoas, um recorde de público do MMA!

Rodrigo era um lutador que pesava 102 quilos, ou seja, de perto daquele gigante chegava a sumir, mas mesmo assim ele aceitou a fechar essa luta e os japoneses concordaram de imediato.

Imaginem quem era o favorito para vencer a luta?

·         A luta foi muito badalada e foi transmitida para vários países

·         O tempo máximo da luta era 20 minutos

Mas, o Rodrigo surpreendeu e depois de tomar muito castigo venceu a luta usando a técnica do Jiu-Jitsu. A arte suave salva.  Ele sabia que se trabalhasse nos pontos fracos do oponente conseguiria bons resultados. Porém, o Bob Sapp estava com um excelente condicionamento físico e estava treinando um Jiu-Jitsu mais defensivo.

No entanto, a estratégia do meu irmão era atacar o tempo todo até fazer o gigante parar. E o gigante parou.

Hoje, o Jiu-Jitsu brasileiro é referência no mundo inteiro e praticamente todos os lutadores de MMA praticam em seus treinamentos para as suas lutas, pois todos sabem  que funciona. O Jiu-Jitsu é conhecido por fazer atletas bem menores utilizar a técnica contra lutadores bem maiores do que ele e vencer. É uma arte marcial que trabalha com alavancas para forçar as articulações do adversário, além de trabalhar com estrangulamentos.

O intuito do Jiu-Jitsu é usar a força do próprio adversário para explorar os pontos fracos, portanto o conceito é não somente usar a força física, logo é lutar com a inteligência.

Tendo tudo isso em vista, o que podemos pensar ao trazer esta superação do meu irmão para o âmbito empresarial para melhorar a comunicação da empresa e as vendas é a experiência de saber que não basta focar somente no volume, na insistência ou na repetição. Isso é importante, sim. Mas, não é tudo. É preciso ter estratégia e técnica e ir no ponto fraco da pessoa, tocar naquele ponto que ela precisa de ajuda e ninguém mais conseguiu ajudar.

Se você fizer isso bem com o seu marketing vai ser mais resultados impactantes, vai aumentar a carteira de clientes e eles irão agradecer a você por finalmente ter encontrado uma empresa que entende de verdade o que ele precisa .

As pessoas falam de você porque querem e não por que precisam… E este detalhe faz uma diferença muito grande. Eu tenho muito orgulho da minha faixa preta porque para conseguir essa faixa eu tive que aprender muito e uma das maiores lições que eu tive foi aprender a sua verdadeira arma: técnica.

Para conquistar minha primeira faixa, eu precisei a desaprender a vencer usando força bruta e o meu peso. Eu precisei treinar a minha mente e começar a pensar como um campeão e analisar a hora certa de atacar para vencer.

Não é algo que acontece da noite para o dia, pois é um processo dia após dia de dedicação, mas, a cada dia eu posso sentir o poder que essa mudança de mentalidade proporcionou para  minha vida e nos meus negócios.

E o que eu quero compartilhar com você é: não foque em força bruta, foque em um ponto em que o seu cliente precisa e com esse conhecimento vai ser mais fácil para você para aumentar o seu faturamento.

Aí você se pergunta: “- Como eu fidelizo meu cliente?”

Percebo que precisamos analisar os atletas que tiveram sucesso, os melhores professores o que eles fazem de diferente e as marcas de sucesso como elas aparecem. Utilizamos um processo de modelagem e analisamos os melhores resultados. Como analisamos as necessidades dos nossos clientes e adversários e analisamos os pontos fortes de quem venceu nossos adversários. Você fideliza analisando, usando boas referências e ajudando aos clientes a resolverem suas dores, suas necessidades. 

 

Analise o seu cliente e terá sucesso no seu plano estratégico.